quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Portadas da vida


2 comentários:

Rui - Olhar d'Ouro disse...

Lindas fotos de relíquias com muitas histórias petrificadas...
Boa semana, bom carnaval

Maria Clara disse...


“Nasce Selvagem”, é a música que mais se adapta a este álbum de fotografias. Domingo de manha, primeiro domingo de sol, depois de um Inverno chuvoso.
O gosto pela fotografia e o desejo de aventura e descoberta, levou-nos por trilhos ainda não desbravados. Fomos ao sabor da corrente, registamos as coisas mais singelas, mas não conseguimos gravar o som de notas melodiosas que a água reproduz ao bater nas roxas ou em simples troncos de árvores abandonadas há muito.
A beleza e simplicidade da natureza transporta-nos para um mundo único e mágico. Sentido de liberdade, paz, e vontade de viver é a verdadeira magia destes passeios.
Recordo, que sem orientação, sem mapa, sem destino, porque caminhávamos ao som da corrente da água. Encontramos verdadeiras relíquias. Um velho moinho, que há centenas de anos deve ter funcionado. Intactas ainda vimos as mós e as portadas, um velho forno de cozer pão perdido no meio do nada.
Nem uma pegada, nem um carreiro recente, nem ponto de orientação alimentou a aventura.
Mostro-vos um pouco do percurso e a forma como foi palmilhado e registado por duas mulheres, que têm como passatempo a fotografia e a magia da descoberta.